Tranquilidade apoia Exposição CAIS URBANA nas cidades de Almada, Coimbra, Lisboa e Porto

A Tranquilidade ofereceu os seguros para a Exposição CAIS URBANA, uma iniciativa desenvolvida no âmbito do 25º Aniversário da Associação CAIS. Vários locais de Almada, Coimbra, Lisboa e Porto, cidades onde a Revista CAIS é vendida, recebem 25 peças de arte que solidificam o trabalho desenvolvido pela Associação CAIS.


Fundada em 1994, a CAIS tem como objetivo principal contribuir para a melhoria das condições de vida dos cidadãos em risco de exclusão social, pela dignificação humana, capacitação e empregabilidade. A Associação CAIS promove o programa PLAY, formando e integrando pessoas em contexto laboral através da capacitação, autonomização, formação e ampliação de competências pessoais, sociais e profissionais.


Jan de Pooter, CEO da Tranquilidade, refere que "é com enorme satisfação que apoiamos os 25 anos da CAIS e o seu papel muito relevante na sociedade portuguesa. A Exposição CAIS Urbana consegue através da arte urbana e do talento de artistas nacionais reforçar a importância da inclusão e da ação cultural, dois eixos essenciais na nossa política de Responsabilidade Social."


São 25 anos de história de homens e de mulheres, de pessoas social e economicamente vulneráveis, mas também de 25 anos de reflexão e de identificação de soluções sociais adequadas à realidade e às exigências do mundo atual. A CAIS evoluiu ao longo dos seus 25 anos em termos de identidade e posicionamento e, acima de tudo, solidificou a sua intervenção, onde ninguém é excluído, onde TODOS CONTAM.


A Exposição CAIS URBANA é o resultado de um desafio lançado pela Associação CAIS à Mistaker Maker, uma plataforma de intervenção artística que fomenta a produção e a promoção de exercícios e projetos de Arte Contemporânea, em todas as suas formas de expressão. De desafio em desafio, 25 das principais referências nacionais juntaram-se a esta causa e, de uma base comum, deram asas à sua criatividade na construção de peças únicas.


Estes 25 artistas trabalharam sob a mesma base: uma caixa de MDF de 10 mm, com 70 cm de largura, 100 cm de altura e 20 cm de profundidade. A partir desta, deram asas à sua criatividade e construíram peças de arte únicas. Estas peças estão expostas até ao final de novembro.


Saiba mais aqui.