O Nosso Compromisso


Designação de Beneficiários

 

 

Para efeitos do disposto no Artigo 4º do Decreto-Lei nº. 384/2007, de 19 de Novembro que estabelece as normas de informação aos beneficiários de seguros de vida e de acidentes pessoais, informa-se o seguinte:

 

Na falta de designação de beneficiário, serão considerados beneficiários os herdeiros legais nos termos supletivamente definidos nas Condições Gerais da apólice e no Regime Jurídico do Contrato de Seguro.

 

Sempre que, num seguro de vida ou de acidentes pessoais, o tomador do seguro proceda à designação de beneficiários em caso de morte que não sejam herdeiros legais, deve indicar os seguintes elementos de identificação dos beneficiários: o nome ou a designação completos, a morada, os números de número de contribuinte e Bilhete de Identidade / Cartão do Cidadão.

 

A inexistência ou a incorreção dos elementos de identificação do(s) beneficiário(s) pode impossibilitar o Segurador de dar cumprimento aos deveres de informação e comunicação previstos na Lei, com vista ao pagamento do capital seguro. Poderá ainda impossibilitar o segurador de cumprir os deveres legais de inclusão dos dados respeitantes ao(s) beneficiário(s) em caso de morte na base de dados que integra o registo central de contratos de seguros de vida, de acidentes pessoais e de operações de capitalização, sob gestão da Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões.

 

Pode solicitar a indicação ou alteração de beneficiário(s) em qualquer Loja Tranquilidade ou junto do seu Mediador. 

 

 

 

Resolução Alternativa de Litígio

 

 

O tomador do seguro/ pessoa segura, em caso de divergência com o Segurador, poderá apresentar uma reclamação junto de uma entidade de resolução alternativa de litígio, cuja listagem se encontra disponível no sítio da Internet da Direção-Geral do Consumidor (www.consumidor.pt).

 

 

 

Compromissos assumidos pelo Segurador na regularização de Sinistros Automóvel

 

 

Relativamente aos sinistros com exclusivamente danos materiais enquadráveis no regime previsto no Decreto - Lei nº 291/2007 de 21-8-2007, o Segurador assume nas condições legais aplicáveis, o compromisso seguinte:

 

  • Contacto com o lesado no prazo de dois dias úteis após receção da participação ou reclamação (desde que se disponha de elementos suficientes para o efeito) para marcação da peritagem;
  • Conclusão da peritagem no prazo de oito dias após a marcação (nota: em caso de necessidade de desmontagem, o prazo máximo será de 12 dias);
  • Disponibilização dos relatórios de peritagem, quando solicitado, no prazo de quatro dias úteis após conclusão da respetiva peritagem;
  • Decisão sobre a responsabilidade no prazo de 30 dias úteis a partir do termo para o primeiro contacto. (nota: este prazo será reduzido para metade existindo DAAA e poderá ser suspenso ou alargado para o dobro em circunstâncias especiais);
  • Disponibilização ao terceiro lesado de um veículo de substituição de características semelhantes ao acidentado a partir do momento em que a Companhia assuma a responsabilidade pela reparação dos danos ou, caso a oficina reparadora seja indicada pelo lesado, pelo período necessário à reparação (nota: nos casos de perda total, a cedência de viatura de substituição cessa no momento em que for colocado à disposição do lesado o montante indemnizatório);
  • Pagamento da indemnização no prazo de oito dias a partir do momento em que o Segurador assume a responsabilidade.
  • Informar os tempos médios de regularização dos sinistros que, no ano de 2016, encontram-se refletidos no seguinte quadro:

      

Arquivo 2015

Arquivo 2014

Arquivo 2013

Arquivo 2012

Arquivo 2011

Arquivo 2010