Outros Ramos


Perguntas Frequentes sobre Outros Sinistros

 

Consulte em seguida as nossas respostas às Questões mais Frequentes que nos são colocadas.

 

Se ainda ficar com dúvidas não hesite, contacte-nos através de qualquer um dos meios que disponibilizamos.

 

  • 01. Capital Seguro e aplicação da Regra proporcional

     

    A determinação do capital seguro é sempre da responsabilidade do Tomador do Seguro e deverá obedecer aos seguintes critérios:

     

    Capital do Imóvel: Deverá corresponder ao custo da respetiva reconstrução.

     

    Todos os elementos constituintes ou incorporados no imóvel pelo proprietário devem ser tomados em consideração, bem como o valor proporcional das partes comuns no caso da fracção segura estar inserida num Condomínio.   Somente o valor dos terrenos não deve ser considerado no capital.

     

    Se o capital seguro for, na data do sinistro, inferior ao valor de reconstrução em mais de 15%, o Segurador só responde pelo dano na respetiva proporção, respondendo o Tomador do Seguro ou o Segurado pela restante parte dos prejuízos

     

     

     

    MR Estabelecimento

     

    Principio Geral

     

    De acordo com as Condições Gerais da Apólice o capital seguro para mobiliário e equipamento deverá corresponder ao custo do equipamento em novo, deduzido da depreciação inerente ao seu uso e estado.

     

    Em caso de sinistro, o cálculo da indemnização tem em conta o mesmo princípio, o custo do equipamento em novo, deduzido da depreciação inerente ao seu uso e estado.

     

    Opcional - Subscrição de Valor de Substituição em Novo

     

    Para bens com idade igual ou inferior a 10 anos, é possível subscrever a cláusula de Valor de Substituição em novo, para a qual o capital seguro deve corresponder ao Valor de Substituição em Novo, conforme definido na respectiva Cláusula Particular.

     

    Em caso de sinistro, o calculo da indemnização tem em conta o custo de aquisição, à data do sinistro, de um bem em estado de novo, igual ou do mesmo tipo, com idênticas características, funções, capacidade e rendimento, mas não superiores ou de maior amplitude que as do equipamento seguro sinistrado, isto é, o Valor de Substituição em Novo.

     

    Todavia, se o valor seguro for inferior ao valor de substituição do bem a apólice apenas segura até ao capital indicado para os bens identificados separadamente ou mediante a regra da proporcionalidade no caso do conjunto dos bens de recheio ser inferior ao valor da sua substituição.

     

  • 02. Pesquisa, Reparação e Reposição por Avaria

     

    No caso de a apólice não ter esta cobertura:

     

    • Se a reclamação for por excesso de consumo de água ou outro motivo, em que não existem vestígios evidentes de derrame de água ou quando a origem da rotura não possa ser detetada por meios de pesquisa sem recurso a partir ou escavar pavimentos, tetos ou paredes, a pesquisa deve sempre ficar sob a responsabilidade do segurado;
    • Se após a pesquisa efetuada pelo segurado se verificar a existência de dano garantido pela apólice, o Segurador indemnizará as despesas da pesquisa ao abrigo de Danos por Água;
    • Se existirem vestígios de derrame de água ou humidade a pesquisa pode ser realizada ficando as despesas inerentes à mesma a cargo do Segurador independentemente da verificação posterior de existência de risco garantido ou não.

     

  • 03. Aplicação de Franquias

     

    A franquia é uma importância que fica a cargo do segurado em caso de sinistro e cujo montante consta das Condições Particulares.

     

    Em caso de um sinistro que afete mais do que um risco garantido pela apólice, será aplicada apenas uma franquia sendo atribuída aquela que seja mais elevada do conjunto dos riscos afetados.

     

    Quando ocorram sinistros que causem danos a vizinhos que habitem em frações contíguas, cobertura "Responsabilidade Civil Proprietário ou Inquilino / Ocupante", as reparações efetuadas nessas frações são suportadas pelo Segurador e apenas será aplicada uma franquia.

     

  • 04. Participação de sinistros e meios de prova

     

    A participação do sinistro deve ser feita no prazo de 8 dias após a ocorrência explicitando as circunstâncias, eventuais causas e consequências e devem ser prestadas ao Segurador todas as informações relevantes que este solicite.

     

    Isto significa que de acordo com a Lei, o cliente tem sempre de fazer prova dos factos que alega, nomeadamente da existência dos bens perdidos ou danificados.

     

    Para este efeito o cliente deverá apresentar facturas de aquisição, inventários, declarações de IRC ou outros meios de prova que se tornem imprescindíveis para determinar a avaliar as perdas resultantes do sinistro.

     

  • 05. Acidentes Pessoais - Reembolso de Despesas

     

    A cobertura de Despesas de tratamento dos seguros de Acidentes Pessoais, regra geral, funciona mediante reembolso das despesas garantidas contra entrega dos originais comprovativos dos pagamentos efetuados e de todos os documentos justificativos que se entendam necessários.