Outros Ramos


Procedimentos em caso de Sinistro/Acidente

 

Como os procedimentos a adoptar após a ocorrência de um Sinistro são naturalmente diferentes consoante os riscos afetados e os produtos em causa, indicamos em seguida a informação mais relevante para cada uma das situações.

  • No caso de sinistros de Patrimoniais

     

    Princípios Gerais

     

    É recomendável ter à mão os números de telefone dos Bombeiros, Guarda Nacional Republicana, Policia de Segurança Pública, Piquete das Empresas distribuidoras de Gás, Eletricidade ou Água, Serviços de Saneamento da Câmara Municipal, da área da sua residência e da Europ Assistance, os quais poderão ser muito úteis em caso de sinistro.

      

    Deverão ser tomadas todas as medidas no sentido de prevenir ou limitar as consequências do sinistro, que em baixo descrevemos para cada um dos Produtos.

     

    Comunicar o sinistro por escrito no mais curto prazo de tempo possível, até a oito (8) dias a contar do dia da ocorrência ou do dia em que tenha conhecimento da mesma, explicitando as suas circunstâncias, causas eventuais e consequências.

     

    Elaborar uma relação dos bens sinistrados, discriminando quantidades, tipo, marca, modelo e valor estimado para reposição dos prejuízos, ou orçamentos de reapreciação dos danos para posterior entrega/análise do Perito ou Gestor (caso seja preterida a intervenção pericial).

     

    Não deverá providenciar consertos nem repor bens danificados, até que a vistoria se realize, exceto nos casos onde seja indispensável a reparação para manter a inviolabilidade do local ou a habitabilidade do local.

     

     

    Danos por água

     

    • Fechar torneiras de segurança da rede de águas,
    • Utilizar cobertores velhos enrolados para fazer barreira ao alastrar da água a outras divisões da casa,
    • Remover para locais mais elevados artigos que o contacto com a água possa inutilizar ou danificar gravemente,
    • Chamar o piquete da Companhia das Águas se não conseguir estancar a água, fechando a torneira de segurança,
    • Telefonar para a Europ Assistance, que lhe poderá proporcionar a deslocação de técnico especializado para remediar a situação no âmbito da Assistência Lar.

     

     

    Riscos Elétricos

     

    • Contactar com técnico credenciado para obter orçamento de reparação,
    • Reclamar por carta à empresa responsável pela distribuição da eletricidade, sempre que ocorram danos em equipamentos,
    • Procurar facturas da aquisição dos aparelhos e outros elementos de identificação como livro de instruções ou a garantia para completa identificação do aparelho,
    • Guardar e conservar os salvados.

     

    Tempestades e Inundações

     

    • Perante o anúncio de tempestade eminente deverão ser tomadas medidas preventivas de limpeza de caleiras e algerozes de telhados e desentupir grelhas de escoamento de águas,
    • Fechar bem portas, janelas e correr os estores,
    • Verificar o funcionamento de bombas de esgoto em caves (é recomendável a instalação de alarmes para falhas de funcionamento),
    • Procurar remover bens de recheio dos pisos térreos para locais mais elevados.

     

    Furto ou Roubo

     

    • Se houver entrada forçada no local do risco, deverá de imediato avisar a Autoridade Policial da área da residência
    • Evitar remover os vestígios da intrusão e os artigos que se encontrem fora do lugar até á chegada da Autoridade.
    • Fotografar (se dispuser de máquina fotográfica) o local do arrombamento e as áreas onde note o desaparecimento de bens.
    • Contactar com a Europ Assistance, no âmbito da Assistência Lar, que lhe pode proporcionar a deslocação de um técnico para reparar a fechadura e evitar futuras intrusões no local.
    • Fazer participação à Autoridade Policial da área da residência, descrevendo de forma minuciosa como ocorreu a intrusão, apresentando relação dos bens furtados e indicando eventuais suspeitos e ou testemunhas do delito.
    • Pedir aos serviços da Polícia Técnica a recolha de impressões digitais e fornecer identificação de eventuais suspeitos.

     

     

    Incêndio

     

    • Deve procurar usar o extintor (se o tiver), cobrir as labaredas com um cobertor ou lançar água sobre a zona em chamas, tendo o maior cuidado para evitar sofrer queimaduras,
    • Fechar garrafas ou a torneira de segurança da instalação de gás,
    • Desligar o quadro da eletricidade,
    • Remover produtos inflamáveis da zona contígua às chamas,
    • Fechar portas e janelas isolando o local onde ocorra o incêndio,
    • Telefonar para os Bombeiros.

     

     

    Responsabilidade Civil como Proprietário, Inquilino/Ocupante ou Familiar

     

    • Deverá inteirar-se da natureza dos danos causados a terceiros (lesões corporais ou materiais),
    • Identificar o lesado ou lesados e a forma de os contactar,
    • Comunicar à seguradora os danos causados sem assumir perante o lesado qualquer tipo de reparação ou responsabilidade,
    • Apresentar descrição pormenorizada das circunstâncias do incidente e a identificação de eventuais testemunhas.

     

     

    Quebra de Vidros

     

    Pode solicitar o serviço da GLASSDOMUS, entidade com quem a Tranquilidade acordou o fornecimento de Vidros.

     

    GLASSDOMUS: 808 20 20 13

  • No caso de Marés e Marinheiros

     

    Quando ocorra sinistro com embarcação de recreio por acidente marítimo ou rodoviário quando transportada, a reboque, por terra pode contactar a Seguradora e fazer a Participação de imediato.

     

    A. As participações recebidas são analisadas pelo gestor de sinistros que no mais curto prazo nomeia o perito:

     

    O perito nomeado contacta o segurado para realizar a peritagem.

     

    B. Caso o gestor de sinistros considere que não se justifica a intervenção de perito, o gestor responde no mais curto prazo possível ao segurado e pede:

     

    Os elementos indispensáveis para permitir a análise e regularização do sinistro são os documentos a seguir indicados, sem prejuízo de outros documentos adicionais que possam ser solicitados, de acordo com a complexidade do sinistro:

    1. Participação do sinistro efetuada e assinada pelo segurado com a descrição pormenorizada das circunstâncias e prejuízos sofridos pela embarcação;
    2. Participação realizada às Autoridades Marítimas do local da ocorrência.
    3. Cópia da carta de habilitação da pessoa encarregada da condução da embarcação no momento do acidente;
    4. Cópia do orçamento de reparação por um estaleiro habilitado para realizar a reparação;
    5. Identificação do proprietário e descrição pormenorizada dos danos causados à embarcação ou a bens móveis ou imóveis danificados no caso de abalroamento ou colisão.
    6. Identificação dos lesados circunstâncias e tipo de danos causados nos casos de que resultem lesões corporais;

     

  • No caso de Tranquilidade em Viagem

     

    Quando ocorra sinistro por acidente pessoal promover o envio à seguradora de:

    1. Declaração do médico onde conste a natureza das lesões, diagnostico e eventual período de incapacidade temporária ou mesmo possível invalidez permanente, e posteriormente,
    2. Declaração do médico onde conste a data da alta e o número de dias em que houve incapacidade após a cura das lesões.
    3. Declaração escrita a autorizar o médico assistente a fornecer eventuais pedidos de informação solicitadas pela Tranquilidade.
    4. Facultar todos os documentos originais das despesas efectuadas com o tratamento das lesões.

     

    Se em caso de sinistro necessitar de assistência a pessoas ou caso tenha contratado assistência ao veículo de acordo com as condições da apólice é condição indispensável comunicar com a Tranquilidade

    1. Imediatamente e por telefone para a Linha de Assistência ao seu dispor, 24 horas por dia, 7 dias por semana, através dos telefones

    Portugal 21 386 33 22

    Estrangeiro 351 21 386 33 22

     

    Se tiver contratado danos em bagagens torna-se necessário em caso de sinistro:

    1. Reclamar por escrito ao transportador após a chegada no caso de transporte público obtendo comprovativo da entrega dessa reclamação
    2. Participar às autoridades policiais no caso de furto ou rouba na estadia ou quando a viagem se realiza em veículo próprio.
    3. Apresentar reclamação á Tranquilidade acompanhada de relação detalhada com valor das perdas ou danos sofridos acompanhada dos documentos

     

  • No caso de Sinistro de Caçador

     

    O seguro obrigatório de Caça deve ser participado de imediato e o Tomador deverá:

    1. Inteirar-se da natureza dos danos causados a terceiros (lesões corporais ou materiais)
    2. Identificar o lesado ou lesados e a forma de os contactar.
    3. Comunicar à seguradora os danos causados sem assumir perante o lesado qualquer tipo de reparação ou responsabilidade.
    4. Apresentar descrição pormenorizada das circunstâncias do incidente e a identificação de eventuais testemunhas
    5. Apresentar a Carta de Caçador,
    6. Licença de caça
    7. Licença de uso e porte de arma
    8. O Tomador não deverá assumir perante o lesado pagamentos ou qualquer tipo de responsabilidade

     

    Quando sejam subscritas Coberturas Facultativas de Morte ou Invalidez Permanente; Incapacidade Temporária; Despesas de Tratamento e Repatriamento; Despesas de Funeral; o Tomador do seguro deve proceder como indicado em Acidentes Pessoais.

     

    Quando as Coberturas facultativas de Danos em Espingardas e outros Equipamentos de Caça; Danos em Cães de Caça do Segurado; tiverem sido subscritas o Tomador deverá apresentar:

    1. Relatório técnico da reparação do equipamento de caça
    2. Factura de aquisição do equipamento
    3. Entrega do salvado na loja mais próxima da Tranquilidade

     

    Se ocorrerem danos nos cães apresentar elementos de registo e licença do canídeo na Junta da Freguesia.

     

  • No caso de sinistro de Acidentes Pessoais

     

    1. Promover o envio, até oito (8) dias após a Pessoa Segura ter sido clinicamente assistida, de uma declaração de médico, onde conste a natureza e localização das lesões, o seu diagnóstico, bem como a indicação da possível Invalidez Permanente;
    2. Cumprir todas as prescrições médicas;
    3. Comunicar, até oito (8) dias após a sua verificação, a cura das lesões, promovendo o envio de declaração médica, onde conste, além da data da alta, a percentagem de Invalidez Permanente eventualmente constatada;
    4. Entregar, a documentação original e todos os documentos justificativos das despesas efetuadas e abrangidos pelo contrato;
    5. Se do acidente resultar a morte da Pessoa Segura, deverá, em complemento à participação, ser enviada à Tranquilidade certificado de óbito com indicação da causa da morte e, quando considerados necessários, outros documentos elucidativos do acidente e da suas consequências;
    6. Em relação aos sinistros garantidos ao abrigo da cobertura de Responsabilidade Civil, o Tomador do Seguro e / ou o Segurado, deverá:
      • Fornecer e facultar todos os documentos, testemunhas e outras provas e elementos ao seu alcance;
      • Dar conhecimento imediato à Tranquilidade de qualquer procedimento judicial fundado em sinistro garantido pelo contrato.