Automóvel


Procedimentos em caso de Sinistro / Acidente

 

 

 

Em seguida partilhamos alguns conselhos úteis a ter em conta em caso de Acidente:

 

  • 1. Como proceder no local do Sinistro

     

    Convirá ter sempre disponível na viatura um impresso de Declaração Amigável de Acidente de Automóvel (DAAA) que pode ser obtido em qualquer seguradora.

     

    Será útil tirar fotografias no momento do acidente.

     

    Na ocasião, deverá:

     

    • Anotar a matrícula e a marca dos veículos intervenientes;
    • Tomar nota das apólices dos seguros (número e identificação das Companhias e data de validade) - dados a obter a partir da "Carta Verde" ou da vinheta colocada no para-brisas;
    • Preencher a Declaração Amigável (DAAA) com rigor, o máximo de informação possível assinatura legível dos condutores;

     

     

    Verificam-se apenas Danos Materiais

     

    • A intervenção da Autoridade (PSP ou GNR) pode ser dispensada mas será útil no caso de os danos serem significativos, as circunstâncias do acidente não serem claras ou um dos intervenientes recusar o preenchimento da DAAA;
    • Se possível, convirá identificar testemunhas (tanto para ajudar esclarecer a forma como se deu o acidente como para confirmar dos danos causados).

     

     

    Existem Pessoas feridas

     

    • Deve ser solicitada a intervenção da Autoridade;
    • Nunca deve ser abandonado o local do acidente, a menos que seja para se deslocar ao hospital.

     

    Nota: o abandono do sinistrado pode, em alguns casos, constituir crime.

     

     

    Intervenção da Autoridade (PSP ou GNR)

     

    • Comparecendo no local, a Autoridade, entre outras iniciativas, anota a data e o local da ocorrência, identifica os intervenientes e eventuais testemunhas, tira medidas no local e elabora um esboço do acidente;
    • Posteriormente, os intervenientes ou as Seguradoras podem requerer à Autoridade interveniente uma cópia da respetiva certidão (este documento pode ser fundamental para a confirmação do sinistro e apuramento de responsabilidades).

     

    Testemunhas do Acidente

     

    • Para que o depoimento seja incontestável, as testemunhas devem ser, preferencialmente, pessoas estranhas ao sinistro e tê-lo presenciado;
    • Devem ser identificadas com o nome e morada;
    • Depois de indicadas à Seguradora, se se justificar, poderão vir a ser por esta contactadas por escrito ou pessoalmente.

     

  • 2. Preenchimento da Declaração Amigável de Acidente de Automóvel (DAAA)

     

    • A Declaração Amigável (DAAA) contém instruções detalhadas sobre o seu modo de preenchimento;

    DAA

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    • Convém não esquecer que a DAAA tem de ser assinada pelos dois intervenientes, para ter validade como tal. De qualquer modo, mesmo que os intervenientes não cheguem a acordo e não seja assinada a DAAA, trata-se de um documento de utilidade inegável;
    • Encontrando-se a participação de sinistro assinada por ambos os condutores, presume-se que o sinistro ocorreu tal como é descrito;
    • No formulário, o espaço reservado a "observações" pode ser muito útil para o esclarecimento do sinistro ou atribuição de responsabilidades, pelo que não deve ser menosprezado;
    • Cada interveniente deve ficar com uma cópia da DAAA.

     

  • 3. Entrega da Participação do Acidente

     

     

    Participação como Segurado

     

    • A participação pode ser feita via internet ou ainda através de um impresso de participação, uma carta ou fax, relatando o acidente circunstanciadamente;
    • A participação do acidente deve ser remetida à Seguradora no prazo máximo de oito dias a partir do dia da ocorrência ou do dia em que o tomador do seguro tenha conhecimento da mesma;
    • O sinistro deve ser comunicado à Seguradora, independentemente da responsabilidade de cada interveniente;
    • Se a Seguradora concluir que a responsabilidade não pertence ao seu Segurado, o contrato não sofre qualquer agravamento, a menos que, por imposição legal, tenha dado lugar ao pagamento de indemnização ou à constituição de uma provisão e, neste último caso, desde que a Tranquilidade tenha assumido a correspondente responsabilidade.

     

     

    Reclamação como "terceiro"

     

    • Se o presumível responsável não participar o sinistro à sua Seguradora, o lesado pode substituir-se a ele e apresentar reclamação à Companhia deste;

     

     

    Apresentação de elementos de prova

     

    • Os elementos de prova habituais são os seguintes:

    - Certidão da Autoridade (PSP ou GNR);

    - Depoimentos de testemunhas presenciais;

    - Declaração dos intervenientes;

    • Apesar da prova disponibilizada, a seguradora poderá realizar a sua própria investigação.

     

 

Download do Guia de Sinistros Automóvel