A sua empresa está protegida contra um ataque informático?

 

O cibercrime e as novas formas de ataque informático causam milhões de euros de prejuízos e podem levar o seu negócio a passar um mau bocado. Saiba o que deve fazer para que a próxima vítima não seja a sua empresa.

 

Sabe quantas pessoas foram afetadas por crimes informáticos em 2016? 700 milhões de pessoas. Mais de duas vezes a população dos EUA, segundo os números do relatório Norton Cyber Security.

 

Nas empresas, o padrão não é diferente. Um estudo da Accenture e do Ponemon Institute que analisou a cibersegurança de 254 empresas ao longo de um ano identificou mais de 600 ataques. Destes, 120 tiveram sucesso com perdas financeiras impressionantes. Em média, cada ataque informático custou cerca de 2 milhões de euros e demorou 23 a 50 dias a ser resolvido.

 

Mas, afinal, o que é um ciber-risco e como pode afetar a sua atividade? O ciber-risco consiste na hipótese de perda financeira, paralisação da produção ou ataque à reputação de uma organização devido a uma falha nos seus sistemas de informação e tecnologia.

 

Perdeu-se na resposta? Vamos dar três exemplos para o ajudar.

 

O erro humano

 

Já lhe aconteceu apagar um ficheiro importante por engano ou perder uma pen com informações sensíveis? É necessário ter um plano de contingência para recuperar esses dados ou impedir que fiquem disponíveis para toda a gente.

 

Os hackers

 

Dedicam-se a encontrar falhas de segurança e aproveitá-las para subtrair informação. Vendem-na a terceiros ou tornam-na pública, abalando a reputação das suas vítimas. Por vezes, os hackers furtam dados ou paralisam os sistemas informáticos das empresas e exigem um resgate à vítima, prometendo repor a situação inicial. É o chamado ransomware.

O phishing

 

Disfarçando-se de uma entidade confiável, procura obter passwords ou nomes de utilizador para usar esses dados no futuro. Consegue escancarar uma porta de entrada no sistema informático da sua vítima sem que ela se aperceba.

 

Os custos de um ataque informático

 

As consequências geradas por estes ataques informáticos podem ser devastadoras e os custos associados bastante elevados. Em primeiro lugar, os danos reputacionais permanecem na memória de clientes e fornecedores. Ninguém gosta de trabalhar com uma entidade que não garante a inviolabilidade de informação sensível.

 

Depois, é responsabilidade das empresas zelar pela segurança e confidencialidade dos dados que detêm, em especial, dos dados pessoais, cuja proteção foi reforçada pelo Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD). Se estes forem revelados, é natural que possam surgir processos em tribunal por quem se sinta lesado, para além da possibilidade de aplicação de coimas por as empresas não terem os meios adequados para evitar estas situações. Por fim, imagine que os dados perdidos ou congelados o impedem de continuar a fazer negócios. Os dias de inatividade e a quebra de confiança correspondem a quantos milhares de euros de prejuízo?

 

É pouco provável que a defesa contra um ataque informático ocupe o seu pensamento no dia a dia. A menos que se torne numa vítima. Aí, não conseguirá pensar noutra coisa. Por isso, mais vale prevenir que remediar.

 

Fazemos um check-up aos riscos informáticos da sua empresa e dispomos de um seguro que protege o seu negócio de perigos cibernéticos. Comece agora a sua proteção.

 

 

 

7 Dicas para aumentar a proteção da sua empresa

 

1. Use software de proteção atualizado trimestral (como antivírus e firewalls) em todos os aparelhos ligados aos sistemas de informação e tecnologia da sua organização.

 

2. Proteja as suas contas e acessos com passwords reforçadas que usem uma combinação de, pelo menos, 10 caracteres entre algarismos, letras maiúsculas e minúsculas.

 

3. Pense duas vezes antes de clicar em ligações ou abrir mensagens e anexos de pessoas que não conhece.

4. Nunca aceda a dados da sua organização através de redes Wi-Fi desprotegidas.

 

5. Contrate um especialista para o ajudar a montar um mecanismo de defesa contra estes ataques.

6. Teste situações de risco para aferir do seu nível de proteção.

 

7. Faça um seguro de ciber-riscos. Porque por mais que use software de proteção atualizado e seja cauteloso, existem sempre vulnerabilidades e riscos que não consegue controlar.