PARTILHAR
SAIBA MAIS SOBRE

O blogue que faz da prevenção e da inspiração o seu dia a dia.

5 Tipos de cancro mais comuns nas mulheres

Em todo o mundo, uma em cada cinco mulheres irá sofrer de cancro durante a vida. Embora as causas da doença sejam muito complexas, há muito que pode fazer para reduzir o risco. 

O crescimento populacional, o envelhecimento da população e o aumento da exposição a fatores de risco (por exemplo, o aumento da obesidade a nível global) podem, em parte, explicar o crescimento da incidência do cancro nos últimos anos, refere o Dr. Matt Lam, Diretor de Comunicação Científica da Worldwide Cancer Research.    

Não fumar, não beber álcool e seguir um estilo de vida saudável, mantendo um peso equilibrado, uma dieta cuidada e um bom nível de atividade física, são comportamentos que contribuem para reduzir o risco de cancro, afirma o Dr. Lam. 

Conheça alguns dos tipos de cancro mais comuns nas mulheres, os seus sintomas e como diminuir o seu risco.  

Tipos de cancro que mais afetam as mulheres 

Cancro da Mama 

Prevalência: 

Dos tipos de cancro mais comuns nas mulheres, o da mama é o mais prevalente. Todos os anos, são diagnosticados quase 7500 novos casos de cancro da mama em Portugal.  

Sinais: 

Os sinais mais frequentes em mulheres com cancro da mama são: inchaço de toda ou parte da mama, covas na pele, dor no peito ou no mamilo, retração do mamilo, coloração avermelhada ou pele seca ou escamosa no mamilo ou na mama e gânglios linfáticos inchados.    
 
Como diminuir o risco:  

  • Faça mamografias regulares; 
  • Reduza a ingestão de álcool, uma vez que o álcool foi sistematicamente associado ao risco de cancro da mama;
  • Mantenha um peso saudável, uma vez que a obesidade é um fator de risco reconhecido;
  • Faça exercício físico regular, pois este pode ajudar a regular as hormonas ligadas ao cancro da mama.   

Reforce o seu seguro de saúde com diagnósticos oncológicos

Sabia que pode contratar esta proteção, mesmo que o seu seguro não seja Tranquilidade?

Duas mulheres abraçadas, um delas com um lenço na cabeça por ter o cabelo curto devido ao cancro.

Cancro Colorretal (Cancro do Cólon) 

Prevalência:  

16% das mortes em mulheres com cancro em 2018.  

Sinais:

O cancro colorretal pode afetar pessoas de todas as idades, mas é um dos tipos de cancro mais comuns nas pessoas com mais de 50 anos. Esteja atenta a alterações nos seus hábitos intestinais. Por exemplo, diarreia ou obstipação com duração superior a vários dias, hemorragia retal e sangue nas fezes.  

Como diminuir o risco:

  • Consuma bastantes fibras que se encontram na fruta, nos vegetais, nas leguminosas e em cereais integrais, uma vez que estas ajudam a que os alimentos transitem mais rapidamente pelo trato intestinal; 
  • Reduza a ingestão de carnes vermelhas e processadas. Um estudo da Agência Internacional para Pesquisas sobre o Cancro da Organização Mundial da Saúde revelou que 50 gramas de carne processada por dia pode aumentar o risco de cancro colorretal
  • Se tiver 50 anos ou mais, faça exames regulares.  

Cancro do Pulmão

Prevalência:
   
10% das mortes em mulheres com cancro em 2018. 

Sinais: 

Os sinais de cancro do pulmão em mulheres e homens incluem tosse persistente, infeções pulmonares recorrentes, tosse com sangue, dor ao respirar ou ao tossir e falta de ar.  

Como diminuir o risco:

  • Não fume. “Estima-se que cerca de três quartos dos casos de cancro do pulmão poderiam ser evitados se as pessoas não fumassem”, adverte o Dr. Lam;
  • Evite igualmente o fumo passivo.  

Cancro do Colo do Útero  

Prevalência: 

8,9 casos por cada 100 mil mulheres em Portugal, em 2018.  

Sinais: 

O sinal mais comum nas mulheres com cancro do colo do útero é uma hemorragia vaginal quando não se está em fase de menstruação. Outros sintomas incluem dor ou desconforto durante a atividade sexual, corrimento vaginal e dor entre os ossos da anca.   

Como diminuir o risco:  

  • Cumpra o rastreio cervical
  • Utilize preservativos. 100% dos cancros do colo do útero estão associados ao HPV (Papilomavírus Humano), que se transmite através de sexo desprotegido, contacto genital pele com pele e sexo oral e anal; 
  • Vacine-se contra o cancro do colo do útero (HPV). 

Cancro do Ovário 

Prevalência:  

2,7% de novos casos diagnosticados em Portugal em 2018.  

Sinais: 

Os sintomas são comuns a outras doenças menos graves, por isso, esteja alerta a quaisquer alterações que não considere normais. Por exemplo, sentir-se rapidamente enfartada, perda de apetite, uma dor persistente na barriga, inchaço abdominal e necessidade de urinar mais frequentemente.   

Como diminuir o risco:  

  • Preste mais atenção ao seu corpo à medida que envelhece, dado que o risco aumenta consideravelmente após os 45 anos;  
  • Cerca de 5 a 15% dos cancros do ovário são causados por um gene "defeituoso" herdado. Assim, se este ocorre na sua família, discuta com o médico as suas opções.    

Inovações encorajadoras no tratamento do cancro 

Seguro de Saúde Tranquilidade

Disponibiliza assistência às pessoas com serviços ao domicílio (médico, enfermagem e medicamentos), médico online, assistência em viagem no estrangeiro, e ainda serviços de assistência específicos para as necessidades dos doentes oncológicos.

Rapariga sorridente a atirar uma maçã verde ao ar com o braço direito

A Worldwide Cancer Research encontra-se entre as muitas organizações que financiam projetos de investigação de novos tratamentos contra o cancro, incluindo os tipos de cancro mais comuns entre mulheres que são referidos neste artigo. 

Por exemplo, um projeto que estuda a utilização de niclosamida, substância normalmente utilizada para tratar infeções por ténia, tem demonstrado o potencial desta substância para tratar o cancro do ovário, explica o Dr. Lam. 

Um outro projeto pesquisa uma nova forma de tratar o cancro do fígado, utilizando a capacidade natural do fígado de se reparar e regenerar. 

A medicina tem feito avanços consideráveis, mas é também importante cada pessoa fazer a sua parte, seguindo, por exemplo, os conselhos aqui dados.    

A palavra “cancro” é, talvez, uma das palavras mais temidas que existem. Apesar da evolução da medicina e dos novos tratamentos em uso e testagem, um cancro é um desafio para a vida de quem o tem e dos seus familiares. 

São muitas as mudanças de vida que acarreta, como a probabilidade de não poder trabalhar e ter de enfrentar despesas financeiras acrescidas devidas a tratamentos. Mas não tem necessariamente de ser assim. 

O Seguro de Saúde Individual da Tranquilidade dá-lhe acesso a uma das maiores redes de especialistas de saúde em Portugal, com diferentes coberturas que se adaptam às suas necessidades. Compare as diferentes proteções e escolha a melhor para si.   

As opções Extra e TOP do nosso seguro de Saúde disponibilizam as melhores “armas” – a prevenção, diagnóstico precoce e os tratamentos mais inovadores – para combater o cancro. Um seguro de Saúde com opções enriquecidas, graças à parceria entre a Tranquilidade e a Fundação Champalimaud, uma das instituições mais reputadas a nível mundial. 

Com um reforço de capital para situações mais graves e coberturas focadas na prevenção e tratamento de doenças oncológicas, a opção Extra pode ser a solução que procurava para complementar o seu seguro de Saúde. 

SAIBA MAIS SOBRE
PARTILHAR
seguro vida mais protect

SEGURO VIDA MAIS PLANO PROTEÇÃO

Garanta um futuro protegido

Saber Mais
vidatranquila horizontal

SINTOMAS DO CANCRO QUE PODEM AJUDAR NO DIAGNÓSTICO

Saber Mais
seguro-de-vida-e-seguro-de-saude-as-diferencas-no-apoio-em-caso-de-cancro-2