PARTILHAR
SAIBA MAIS SOBRE

O blogue que faz da prevenção e da inspiração o seu dia a dia.

FAQ: Seguro de vida - tudo o que precisa de saber

Tal como afirmou o personagem principal do filme Forrest Gump: “A vida é como uma caixa de chocolates. Nunca sabemos qual é o sabor que nos vai calhar.” Apesar de simples, esta afirmação é sábia. É prudente que estejamos preparados para todos os cenários e, numa eventualidade grave, o seguro de vida pode proteger financeiramente a sua família.
 
A História tem-nos mostrado inúmeras vezes o quão frágil é a vida. Assim sendo, é importante cuidarmos de nós e daqueles que nos rodeiam. Por isso, reunimos algumas das perguntas mais comuns sobre o seguro de vida. Deste modo, ficará mais esclarecido sobre a sua natureza, as vantagens que proporciona e a sua acessibilidade.
 

Porque devo ter um seguro de vida?

Um seguro de vida é essencial para preservar a segurança a nível financeiro, em algumas situações inesperadas, como é o caso do aparecimento de doenças graves. Estes seguros são também uma mais-valia em casos de invalidez, visto que estas situações podem originar despesas inesperadas, ou morte da pessoa segura. Assim, o seguro de vida protege-o financeiramente a si ou aos beneficiários que escolheu, visto que, através do seguro, estes riscos poderão ser transferidos para a seguradora.
 

Como funcionam os seguros de vida?

Há diferentes tipos de seguros no ramo Vida, sendo o seguro de vida associado ao crédito casa o mais comum. Em síntese, este seguro permite-lhe decidir a quantia que pretende salvaguardar e por quanto tempo. Poderá fazer o pagamento mensalmente e incluí-lo assim no seu orçamento mensal.
 
O seguro de vida pode ter diferentes opções de proteção à escolha, podendo acrescentar coberturas complementares, como por exemplo: doenças graves, invalidez definitiva para a profissão ou atividade compatível e incapacidade temporária absoluta.
 
Se o falecimento da pessoa segura ocorrer e o seguro de vida estiver ativo, o valor salvaguardado será pago na sua totalidade aos beneficiários.
 
Com as soluções de Seguros de Vida Tranquilidade, poderá escolher as opções e coberturas com as quais se quer proteger a si e à sua família, garantindo um futuro mais protegido.
 

É obrigatório ter um seguro de vida?

A contratação de um seguro de vida é um requisito imposto pelo banco, quando obtém um crédito casa. Tirando estes casos, não é uma obrigação legal, mas é algo que vale a pena considerar, por ser uma proteção válida para muitas situações que - pensamos - só acontecem aos outros. Por exemplo, uma incapacidade e outras circunstâncias que nos podem bater à porta inesperadamente.
 

Quanto custa um seguro de vida?

O preço do seguro irá variar de acordo com uma série de fatores, entre eles a idade, nível de proteção escolhido, tanto a nível das coberturas como do valor do capital seguro. Utilize o Simulador do Seguro de Vida da Tranquilidade para ter uma ideia do seu custo. No entanto, se tiver alguma pergunta não hesite em falar com um agente Tranquilidade, ou contactar-nos via Assistente Virtual ou WhatsApp.
 

Preciso de um seguro de vida para obter um crédito casa?

Para se poder obter um empréstimo imobiliário, as instituições financeiras exigem a contratação de um seguro de vida.
 

É possível ter mais do que um seguro de vida?

Sim, é possível. Recomendamos que tenha um seguro de vida para uma proteção ajustada às suas necessidades, mesmo que já tenha um seguro associado ao crédito habitação, pois os mesmos têm proteções distintas. No caso do seguro de vida associado ao crédito habitação, fica garantido o valor em dívida no banco (assim como o capital que pode estar definido para além do montante em dívida), enquanto que, no caso de seguro de vida não associado ao crédito habitação, o objetivo será dar-lhe o apoio financeiro que poderá vir a necessitar em caso de imprevisto.
 

Posso fazer um seguro de vida juntamente com outra pessoa?

Sim, os seguros de vida podem ser contratados com uma ou duas pessoas seguras. Em termos do pagamento do valor seguro por parte da seguradora, no caso de contratação conjunta, o pagamento será feito quando uma das pessoas falece, terminando desta forma o contrato. Nesse caso, para manter a proteção que tinha, o outro membro do contrato precisará de contratar um novo seguro.
 
Nos seguros conjuntos, em caso de morte das duas pessoas seguras, o pagamento do capital seguro será feito na totalidade aos beneficiários indicados pelo cliente.
 

Vale a pena ter um seguro de vida?

Depende das suas circunstâncias pessoais, mas muitas pessoas atribuem valor à paz de espírito que um seguro de vida pode trazer. Vale a pena pensar na ajuda e proteção financeira que o beneficiário poderá receber, caso o pior cenário aconteça.
 

O meu estado de saúde afetará o custo do seguro de saúde?

Sim, o preço do seguro está associado ao estilo de vida e/ou historial clínico. Se tiver bons hábitos, poderá beneficiar de um melhor preço.
 

Posso alterar as coberturas do seguro, caso as minhas circunstâncias se alterem?

Sim, é possível pedir alterações ao contrato. Esse pedido, sujeito à aprovação da seguradora, deve ser feito por escrito e obedecer a prazos e regras legais e estabelecidas pela seguradora. O seu mediador será capaz de o esclarecer sobre qualquer dúvida.
 

Durante quanto tempo devo contratar o seguro de vida?

O seguro de vida associado ao crédito casa deve ter a duração mínima igual à duração do crédito. Os seguros de vida que não estejam associados ao crédito habitação podem ter a duração que o cliente preferir, tendo em conta a idade máxima de permanência permitida por cada seguradora.
 

A minha família terá de pagar impostos sobre o valor recebido relativo ao seguro de vida?

Na eventualidade de morte ou invalidez, os valores pagos pela seguradora ao beneficiário não estão sujeitos a Imposto de Selo e também não há tributação em sede do IRS.
SAIBA MAIS SOBRE
PARTILHAR

SEGURO VIDA MAIS PLANO PROTEÇÃO

Garanta um futuro protegido

Saber Mais
vidatranquila horizontal

SINTOMAS DO CANCRO QUE PODEM AJDAR NO DIAGNÓSTICO

Saber Mais
seguro-de-vida-e-seguro-de-saude-as-diferencas-no-apoio-em-caso-de-cancro-2