O blogue que faz da prevenção e da inspiração o seu dia a dia.

Como proteger o seu instrumento musical

 

Um instrumento musical é muito mais do que um instrumento de trabalho, é como se fosse uma extensão do corpo de quem o toca.
Cuidar de um instrumento musical é como cuidar da saúde do próprio músico. Conheça as regras e as precauções a tomar para prolongar a sua vida útil, mantendo as suas caraterísticas e sonoridade originais.

 

As regras básicas para proteger um instrumento musical
Sabia que os instrumentos de sopro acumulam saliva no seu interior cada vez que são tocados? E que basta deixar um violino ao sol durante trinta minutos para que a sua madeira fique irremediavelmente empenada? Para evitar que cometa estes erros, vamos dar-lhe a conhecer as regras básicas para cuidar do seu instrumento musical.

 

Arrumação
- Nunca pendure ou encoste um instrumento musical à parede. Pode cair e danificar-se. Deixe-o pousado no chão, num sítio onde não haja passagem de pessoas, ou use um apoio específico para o guardar.

 

Temperatura
- Evite guardá-lo num local muito húmido ou exposto a temperaturas muito altas ou baixas. O calor e o frio agem sobre a madeira e o metal. Alteram a afinação, mas sobretudo vão acabar por desgastar ou empenar o material;
- Da mesma forma, se tocar num concerto ao sol ou ao frio, assim que terminar, cubra-o convenientemente para evitar essas exposições indesejáveis.

 

Limpeza
- Se tiver um instrumento de madeira, limpe-o com um pano macio e seco. Nunca use ceras ou materiais abrasivos;
- Os instrumentos de sopro acumulam saliva na parte interna. Assim, deve limpá-lo de cada vez que o utiliza;
- Se tiver um instrumento de metal limpe-o com um pano macio no exterior e uma gaze no interior. Os instrumentos também ganham ferrugem. Evite-o com uma boa limpeza.

 

Segurança
- Tenha sempre os seus instrumentos protegidos com um seguro pensado para músicos. Seguros como o Seguro de instrumentos musicais da Tranquilidade, respondem exatamente às necessidades dos muitos artistas que tocam pelo país e pelo mundo.
A partir de 25€ por ano pode proteger um instrumento musical na sua casa, no seu local de trabalho ou durante o transporte. Saiba qual o valor para proteger a sua música e estar mais descansado.

 

Pedimos a um especialista que nos explicasse como protege as suas guitarras. Conheça os conselhos do Luís Represas.

 

 

 

Como escolher a mala adequada para o seu instrumento musical
As lojas de música têm à venda uma grande variedade de malas de transporte que protegem o seu instrumento musical de batidas, arranhões e intempéries. Por isso, é um acessório imprescindível. Mas antes de tomar uma decisão sobre que mala comprar, tenha presente algumas indicações básicas:
- As malas rígidas são mais caras, ocupam mais espaço e são mais pesadas. Contudo, são sempre a melhor opção. Protegem o seu instrumento musical de uma forma muito mais eficaz contra choques e outros danos;
- Além de rígida, uma boa mala deve ser impermeável;
- A oferta de malas é tão variada que permite o transporte da grande maioria de instrumentos: guitarras, violoncelos, violinos e outros instrumentos de cordas, saxofones, trompete e outros instrumentos de sopro e toda a grande variedade de instrumentos de percussão.
- Se quer transportar um instrumento de grandes dimensões, como um piano de cauda, deve solicitar ajuda especializada. Além de precisar de cuidados adicionais que as normais empresas de transporte não dominam, será necessário afinar o piano no fim do transporte.

 

A verdade é que, mesmo quando se tem muito cuidado, os imprevistos acontecem. Basta um movimento em falso ou uma desatenção e o seu instrumento musical pode ficar com uma batida que desvirtuará o seu som. A boa notícia é que existem seguros para instrumentos musicais que o deixam protegido contra este tipo de danos, bem como furtos ou roubos.

 

Transporte de instrumentos musicais num avião
Há viagens que têm de ser feitas por avião. Nos casos em que tem de levar consigo o seu instrumento musical, como deve proceder? Depende das regras em vigor na Companhia em que viaja. Convém conhecê-las bem antes de comprar o seu bilhete. No entanto, há algumas regras comuns à maior parte das operadoras aéreas:
- Se o instrumento musical for aceitável como bagagem de mão, respeitando as medidas definidas pela Companhia aérea, pode levá-lo consigo na cabine do avião;
- Se o seu volume for grande, terá de o levar no porão. Registe-o e verifique as limitações de peso e volume em vigor na companhia de aviação que escolher. Será obrigado a transportá-lo num contentor rígido que proteja o instrumento musical e facilite o manuseamento pelo handling dos aeroportos;
- Se o instrumento exceder os limites fixados para a bagagem de porão, a verificar em cada companhia aérea, deve ser tratado como carga e aplicam-se tarifas específicas. Esta modalidade permite, se o instrumento for muito valioso, que ele seja escoltado e alvo de vigilância eletrónica;
- Se não o quiser perder de vista e não puder ser levado como bagagem de mão, compre um bilhete adicional. Há companhias que aceitam que o leve ao seu lado. A TAP, por exemplo, permite-o, mas limita essa possibilidade a um peso máximo de 75 quilos;
- Quer leve o seu instrumento no porão, quer o leve na cabine, deve acondicioná-lo bem. Proteja os pontos mais sensíveis e evite que as arestas pontiagudas fiquem expostas. Há opções de embalamento com caixas e esferovite que são uma boa solução.

 

Se pensa levar o seu instrumento consigo numa viagem de avião, faça um seguro. A maioria das companhias de aviação aconselham-no pois, muitas vezes, não se responsabilizam por eventuais danos que ocorram pelo transporte de artigos valiosos e/ou frágeis, conforme indica a ANAC.

 

O Seguro de instrumentos musicais da Tranquilidade é uma boa solução pois também cobre danos ocorridos durante as deslocações ao estrangeiro.

 

 

A informação desta página foi útil?