O blogue que faz da prevenção e da inspiração o seu dia a dia.

Quer adotar um cão? Saiba o que deve ter em conta

 

Ter um cão é ter uma companhia. Seja nos momentos em que se está em casa ou num passeio pelo parque. Quando decidimos ter um animal é importante ter a noção de que essa decisão traz consigo responsabilidade. Por isso mesmo, a escolha de um novo amigo de quatro patas deve ser feita de uma forma responsável. Conheça alguns aspetos a ter em consideração na hora de escolher um cão.

 

Tamanho do cão
Um dos pontos a ter em atenção é o tamanho do cão. Ou dito por outras palavras, o espaço que tem em casa. Se vive num apartamento e não tem muito espaço o ideal será ter um cão mais pequeno. Mesmo neste caso, será importante considerar os espaços que existem para levar o cão a passear. Se tiver um quintal já poderá optar por um cão maior, tendo em consideração que precisa de um espaço onde instalar a casota.

Também na alimentação o tamanho do cão faz diferença. Um cão maior precisará, naturalmente, de mais alimento do que um pequeno. Assim, deve ter em conta o seu orçamento e perceber se tem capacidade para alimentar um cão maior.

 

Sexo
Para algumas pessoas pode ser indiferente, mas outras têm preferência por um sexo. Há quem considere que as cadelas aprendem mais depressa e, como tal, são mais fáceis de treinar. Por outro lado, os machos tendem a ser mais enérgicos e há quem defenda que são mais sociáveis do que as fêmeas.

Se quer ter uma cadela lembre-se de que se ela não for esterilizada terá o cio. Isso pode fazer com que a fêmea tenha gravidez psicológica e seja mais difícil de controlar. Ao mesmo tempo, vai atrair a atenção de machos, sobretudo os não castrados. E se ela engravidar terá de lhe dedicar ainda maior atenção. Quando tiver os filhos, terá de cuidar dos cachorros ou procurar um novo lar para eles.

Se não quer passar por este último cenário o melhor é esterilizar a cadela. Além disso, as cadelas esterilizadas têm menos probabilidade de ter cancro da mama, principalmente se a cirurgia for feita ainda durante o primeiro ano de vida.

Se estiver a pensar escolher um cão, lembre-se de que um cão não castrado pode ser igualmente difícil de controlar, principalmente nos momentos em que sentir que há uma cadela com cio nas redondezas. Após a castração, é importante adaptar a alimentação do animal, para prevenir um eventual aumento de peso. Em relação aos custos, a esterilização tende a ser mais cara do que a castração.

 

Idade
Está a pensar ter um cão adulto ou um cachorro? Também aqui há diferenças a ter em conta. Se a ideia é ter um cachorro é preciso ter tempo e paciência para o ensinar. Apesar de trabalhoso, treinar o seu novo cachorro pode ser muito divertido e há de gostar de recordar esses momentos mais tarde. Além disso, sentirá orgulho quando o vir a fazer algo que o ensinou.

Terá de o ensinar a ir à rua, a andar à trela e, pelo meio, pode tentar ensinar alguns truques. Prepare-se ainda para as inevitáveis "partidas", como móveis e objetos pessoais roídos. E não se esqueça das despesas com vacinação ou eventual esterilização/castração, bem como as trocas de coleira e trela à medida que o cão for crescendo.

Os cães adultos já estão mais ensinados. No entanto, poderá ser possível ainda ensinar-lhes algumas coisas, embora tenham uma personalidade mais definida do que um cachorro. Alguns cães adultos podem ter sido abandonados e podem ter alguns traumas. Assim, é importante ser paciente para ajudar o cão a adaptar-se numa fase inicial. Além disso, sentirá o prazer de proporcionar a um cão adulto uma nova vida.

 

Raça
Cão de raça pura, cruzada ou rafeiro? As opções são muitas. Se escolher um cão de raça pura o comportamento é mais previsível. Pode optar por raças mais pequenas, como o Bichon Maltês, o Pug, o Pequinês ou o Yorkshire Terrier. Se não quer um cão nem muito pequeno nem muito grande tem, por exemplo, o Beagle. Para quem quer um cão grande existe o conhecido Pastor Alemão, o Labrador Retriever ou o Dálmata.

E depois há as raças que tanto têm cães pequenos como outros que podem ser maiores. São exemplos o Podengo Português ou Spitz Alemão. Tem também raças portuguesas, como o já referido Podengo, o Cão de Água Português ou o Cão da Serra da Estrela.

Os cães de raças cruzadas têm pais de duas raças puras diferentes. Aqui a previsibilidade em relação ao comportamento, tamanho ou tipo de pêlo é menor do que em relação aos cães de raça pura.

Em relação aos rafeiros, têm ascendentes sem uma raça definida. Um aspeto positivo neste cães é o facto de de terem uma grande variedade de genes, o que significa que podem ter menos problemas genéticos.

 

Temperamento
No fundo, tal como noutros aspetos, deverá ter um cão que se adapte ao seu estilo de vida. Por exemplo, se tem crianças em casa o ideal será escolher um cão que goste e que se dê bem com crianças. Informações como esta podem dadas pelos responsáveis do local onde decidir adotar o cão. Se tem espaço ou disponibilidade para ir dar passeios pode ter um cão mais enérgico, por exemplo.

Tenha ainda atenção se deseja ter um cão considerado potencialmente perigoso. Nesse caso vai precisar de licença e de um seguro de responsabilidade civil. Em relação ao seguro, pode fazê-lo a partir de 27,25 euros por ano para cães não perigosos, com o Responsabilidade Civil Cães da Tranquilidade. Nos casos dos cães potencialmente perigosos, o seguro custa a partir de 54,5 euros.

 

Saúde
Um cão vai necessitar sempre de cuidados de saúde. Vai precisar de gastar dinheiro em vacinas e desparasitação. A vacina contra a raiva é obrigatória. Outras que também são consideradas essenciais são as da parvovirose, esgana, leptospirose e hepatite. E lembre-se de que existe sempre o risco de o animal ficar doente e, por isso, deve ter presente a necessidade de ter de alguns gastos extra. Por isso mesmo, a decisão de ter um cão deve ser bem ponderada.

Para garantir uma proteção extra ao seu amigo, o Seguro Casa da Tranquilidade disponibiliza um serviço de assistência que suporta os custos de deslocação de um médico veterinário ao domicílio ou os custos de transporte urgente até à clínica mais próxima. A juntar a isto pode ativar o módulo opcional para animais domésticos, que cobre os gastos com hospitalização, medicação e honorários médicos até 300 euros.

 

Identificação
Todos os cães estão obrigados a ter microchip. Este dispositivo serve para identificar o animal e pode ser útil caso perca o seu cão. Neste casos, quando o cão for encontrado, o Sistema de Identificação e Recuperação Animal pode enviar uma alerta aos veterinários com o número de identificação do cão.

Colocar no cão uma coleira com o nome e contacto do dono também pode ser bastante útil nos casos em que o animal se perde.

 

Onde encontrar o cão?
Se escolher um cão de raça pura pode entrar em contacto com um criador. Se contactar o Clube Português de Canicultura pode saber quais os criadores perto da sua área de residência. O ideal é optar por um criador que só se dedique a uma raça, uma vez que pode significar melhor qualidade na criação. Visite as instalações para perceber quais as condições em que os animais são criados e peça para conhecer os progenitores.

Se em vez disso quiser adotar um cão, existem várias associações que têm cães para adoção. Pode visitar essas associações e, com a ajuda e aconselhamento dos responsáveis, escolher o cão que de adapta melhor a si e ao seu estilo de vida. Em todo o caso, o importante é cuidar bem do seu amigo de quatro patas e proporcionar-lhe uma vida feliz e confortável.

A informação desta página foi útil?