O blogue que faz da prevenção e da inspiração o seu dia a dia.

Mudar o seguro de vida do crédito à habitação: o que tem de saber

 

Se está a pagar um crédito à habitação, provavelmente tem um seguro de vida feito no mesmo banco que lhe emprestou o dinheiro. Os bancos exigem a contratação de um seguro de vida e a ideia é simples e prudente.

A existência de um seguro não protege apenas o banco. O seguro é uma garantia para o cliente de que o empréstimo será pago em caso de morte ou invalidez e que as finanças da família serão poupadas.

Se está a pensar transferir o seu seguro de vida o ou se quer rever as condições, saiba que é possível mudar de seguro de vida associado ao crédito à habitação durante o período de pagamento do crédito. Quer duas boas razões para o fazer? A potencial poupança que vai conseguir e uma proteção mais ajustada à sua vida. É fácil e tem vantagens na Tranquilidade.

 

Seguro de vida associado ao crédito? Pode mudar quando quiser
No processo de negociação de um crédito à habitação é normal que o banco proponha um seguro de vida. Isso faz com que se possa assumir esse seguro como obrigatório, mas existe liberdade de escolha. A legislação diz que o banco deve informar o cliente de que pode optar por fazer o seguro junto da seguradora que quiser. Além disso, o cliente pode dar como garantia um seguro de vida que já tenha em seu nome, desde que cumpra os requisitos mínimos do banco.

 

O que deve analisar quando quer mudar de seguro
Tal como existe liberdade para escolher o seguro no momento do empréstimo, também há possibilidade de mudar de seguro de vida durante o contrato de crédito à habitação.

 

> Spread vs. prémio do seguro
Alguns bancos dão um benefício no spread, quando se faz o seguro proposto. No entanto, deve fazer contas: a perda nessa bonificação do spread pode ser compensada por um seguro mais barato. Se assim for, a poupança é maior e a troca de seguro vantajosa.

 

> Coberturas contratadas
Outra coisa que deve fazer ao mudar o seguro de vida associado ao crédito à habitação é comparar as coberturas. Pode conseguir trocar para um seguro novo que lhe ofereça coberturas com grau de proteção mais alargado e mesmo assim poupar dinheiro.

A cobertura por Invalidez Absoluta e Definitiva (IAD) protege nos casos em que a pessoa apresente um grau de incapacidade superior ou igual a 85%, fique dependente de terceiros e incapaz de trabalhar. No entanto, a cobertura por Invalidez Definitiva para a Profissão ou Atividade Compatível (IDPAC) é mais abrangente. Pode ser acionada em situações a partir de um nível de incapacidade de 60% ou 65%, mesmo que a pessoa segura não esteja dependente de terceiros (maior ou igual a 60% ou maior ou igual a 65% de incapacidade).

 

> Evolução do valor do prémio ao longo dos anos
O valor que paga regularmente pelo seguro de vida aumenta com a idade. Assim, na altura de comparar seguros, não se deve focar apenas no valor a pagar no primeiro ano do seguro. A competitividade do primeiro ano pode perder-se nos anos seguintes, devido à evolução acelerada do valor do prémio (montante que paga por ano).

 

> Alteração dos pressupostos de cálculo
Perceba se as seguradoras que está a estudar reservam o direito contratual de atualizar a tarifa na data da renovação. Se isso acontecer, a seguradora pode alterar as condições do seu seguro e mudar o que foi acordado inicialmente.

 

> Analisar as exclusões
O seguro deve ser adaptado ao estilo de vida de cada um. As doenças pré-existentes estão, por norma, excluídas. Depois, existem atividades como participação em corridas de velocidade ou a prática de alguns desportos radicais que podem entrar na lista de riscos que não estão cobertos.

 

> Tenha em conta as diferenças no capital seguro
Quando subscreve um seguro de vida, é definido um capital seguro. No caso dos seguros associados a um crédito à habitação, o capital deve ser igual ao valor em dívida ao banco. O capital em dívida ao banco vai diminuindo ao longo do tempo. O capital seguro poderá acompanhar esta atualização de forma automática ou a pedido da pessoa segura.

Nos casos em que não existe nem atualização automática nem pedido do segurado, é normal que o capital seguro se torne superior ao valor que falta pagar ao banco. Nestas situações, a diferença entre o capital seguro e a dívida ao banco é atribuída à pessoa segura ou, em caso de morte, aos herdeiros ou beneficiários pré-definidos pela pessoa. Imaginemos um caso em que foi definido o capital inicial de 200 mil euros e o seguro é acionado quando faltam pagar 50 mil euros ao banco. Neste caso, a seguradora paga ao banco os 50 mil que faltam e atribui 150 mil euros à pessoa segura.

 

Ao transferir o seguro de vida para a Tranquilidade pode poupar até 60% em relação ao valor que paga atualmente. Conheça o Seguro Vida Crédito Casa.

 

Como pode transferir o seguro de vida?
Se quiser mudar o seguro de vida do crédito à habitação deve:

 

1 - Denunciar o seguro que tiver subscrito através de uma carta enviada à seguradora. Deve ser feito com 30 dias de antecedência sobre a data de vencimento da apólice (o contrato do seu seguro);

 

2 - Informar o banco da alteração, entregando uma cópia da carta que cancela o seguro e enviando uma cópia do novo contrato;

 

Como prova, guarde as cópias das cartas, datadas e assinadas pela seguradora e pelo banco. Além disso, não se esqueça de cancelar a autorização de débito direto (caso tenha) do antigo seguro.

Mudar o seguro de vida do crédito habitação não tem de ser algo complicado. Como pode ver não precisa de ficar para sempre com o seguro que o banco propôs, podendo avaliar outras opções e escolher a que lhe for mais vantajosa. Se precisar de ajuda durante o processo, pode sempre falar com um mediador Tranquilidade perto de si, que estará pronto para o apoiar e esclarecer as suas dúvidas.

A informação desta página foi útil?