10 mitos e verdades sobre andar de bicicleta

 

Posso apanhar multas? Tenho de ter carta? Posso usar as faixas BUS? A bicicleta é hoje uma companheira para muitos portugueses, com benefícios para a sua vida e para as cidades, mas antes de começar a usar a sua, sente-se e veja se está preparado para a estrada.

 

Andar de bicicleta é um misto de lazer e preocupação ambiental, física e financeira. Os números mostram que um ciclista regular vive, em média, mais dois anos que um não ciclista, segundo a Federação Europeia de Ciclistas.

 

A iniciativa GIRA, o bike sharing promovido pelo município lisboeta, é o mais recente exemplo da preocupação das cidades com o bem-estar e a mobilidade que já se estende de Viana do Castelo a Faro. Se quer juntar-se ao pelotão, ponha o capacete (não é obrigatório, mas devia ser uma obrigação para si) e veja se está a par do que significa andar de bicicleta no meio urbano.

 

1 – Preciso de ter uma licença ou carta de condução

 

Mito. Não. É apenas necessário ter sempre o cartão de cidadão ou outro documento legal de identificação.

 

 

2 – Posso usar a faixa de BUS

Mito. As faixas BUS só podem ser utilizadas com autorização das câmaras municipais. Cidades como Lisboa e Porto, que tem um projeto-piloto a decorrer, ainda não permitem a circulação nas faixas BUS. Por isso, se circular numa destas vias, poderá estar sujeito a coima.

 

 

3 – Não posso passar de bicicleta nas passadeiras

Verdade. Nas passadeiras, ou passagens de peões, tem de sair da bicicleta. A exceção existe para as crianças ciclistas com menos de 10 anos, que são equiparadas a peões no artigo 104 do Código da Estrada.

 

Em Portugal, 1% da população usa diariamente a bicicleta. Na Holanda, líder europeia, este número ultrapassa os 30%, segundo os dados do Eurostat.

 

4 – Não posso circular nos passeios

Verdade. A circulação de ciclistas está proibida tanto nos passeios como nas passadeiras. Apenas menores de 10 anos poderão andar nos passeios desde que não perturbem a normalidade de quem ali passeie.

5 – Tenho de ter luzes ou refletores

Verdade. As luzes (100 metros de alcance) são obrigatórias, desde o anoitecer até ao amanhecer, e existem regras específicas para os refletores que deve ter nas rodas e no quadro da bicicleta. Além disso, com visibilidade reduzida use sempre roupa de cor clara e de preferência refletora.

 

Não se esqueça do seguro da bicicleta. Mesmo não sendo obrigatório, por poucos euros pode proteger a sua saúde em caso de acidente e evitar despesas avultadas com estragos que possa fazer em automóveis ou peões.

 

6 – A regra da prioridade no trânsito não se aplica às bicicletas

Mito. As alterações no Código da Estrada em 2013 mudaram a regra da cedência de passagem. Com esta lei, se a bicicleta está pela direita, à semelhança de qualquer veículo, tem prioridade.

7- Não posso usar headphones ou telemóvel

Meia verdade. Enquanto estiver a andar de bicicleta só pode usar o telemóvel num sistema de "mãos-livres", com um auricular ou em alta voz. A lei diz também que não pode usar headphones ou auriculares em ambos os ouvidos, mas pode usá-los num deles. Se não cumprir, pode ser multado e incorrer numa contraordenação grave, que varia entre os 60 euros a 300 euros.

8 – Na bicicleta não há contraordenações nem contam para a carta de condução

Mito. Se anda de bicicleta está sujeito a contraordenações semelhantes às que podem ser aplicadas aos automobilistas. Velocidade excessiva, condução sob o efeito de álcool ou o desrespeito por sinais luminosos e pelo STOP podem levar a coimas e sanções acessórias. Se cometer uma infração grave ou muito grave enquanto pedala pode ser inibido de conduzir o seu carro ou perder pontos na carta de condução. E mesmo se não tiver automóvel, pode ver a sua bicicleta apreendida.

9 – Andar de bicicleta faz bem à saúde

Verdade. 20 minutos de bicicleta reforçam o sistema imunitário, 30 minutos a pedalar começa a ter melhorias a nível cardiovascular, 40 minutos aumentam a capacidade respiratória e 60 minutos ajudam a controlar o peso, segundo um estudo da Universidade de Colónia, Alemanha. Segundo a Federação Europeia de Ciclistas, os ciclistas tiram menos 15% de dias de baixa por doença.

10 – Não existem multas por velocidade

Mito. Andar de bicicleta implica respeitar as velocidades aceitáveis para travar a tempo de evitar uma colisão com as outras pessoas. E deve adequar a condução às condições climatéricas e ambientais. Se não o fizer pode incorrer numa multa de 60 a 300 euros.